EXERCÍCIO E SISTEMA IMUNE

O sistema imune funciona como soldados internos que reconhecem, atacam e destroem agentes estranhos presentes em nosso corpo e essa função é muito importante porque somos constantemente atacados por fungos, bactérias e vírus. E o exercício físico pode gerar efeitos tanto positivos como negativos sobre o risco de infecção.


Vários estudos já comprovaram que o exercício aeróbio moderado regular reduz entre 18 a 67% o risco de um resfriado. Essa proteção contra a infecção pode ser conseguida com caminhadas, ciclismo, natação, jogos esportivos e até dança. E você só precisa de 20 a 40 minutos de atividades moderadas por dia para alcançar esse benefício. Isso vale para homens e mulheres jovens, de meia-idade e também para idosos!




Mas como isso acontece?

Os motivos ainda não são completamente entendidos, mas parece que cada sessão de exercício aumenta as concentrações no sangue das células que fazem nossa proteção e também de anticorpos, ou seja, nossos soldadinhos. Também há a melhora na sensação de bem-estar com diminuição do estresse emocional, bom estado nutricional e estilo de vida mais saudável.

Porém, nem todo exercício faz sempre bem. Para atletas de alta intensidade e longa duração, como um maratonista, por exemplo, os efeitos podem ser de aumento do risco de infecção. Isso acontece porque após uma sessão intensa de atividade física, há diminuição temporária daqueles nossos soldados. Esses atletas também estão expostos a outros fatores estressantes como falta de sono, estresse mental, maior exposição aos agentes infecciosos devido as grandes aglomerações de pessoas, viagens aéreas e dieta inadequada. Tudo isso acaba causando um impacto negativo na saúde.


E o frio? Será que ele é realmente um vilão da nossa saúde?

Não há uma resposta exata ainda para essa dúvida, mas os estudos disponíveis demonstram que a exposição ao frio, na verdade aumentaria os níveis das nossas células de defesa. Portanto, o que temos de evidência até o momento não sustenta a crença popular de que a exposição ao frio, breve ou prolongada, com ou sem exercício, leve a uma diminuição da atividade do nosso sistema imune, aumentando a chance de infecções.


Mas e se eu estiver resfriado? Devo me exercitar?

Geralmente não há problemas em se exercitar se seus sintomas forem um nariz escorrendo, nariz entupido ou dor de garganta leve. Mesmo assim, é melhor diminuir a intensidade do treino e evitar aqueles de alta intensidade/longa duração. Se você piorar, pare e repouse. Porém se você estiver com tosse, dor no estômago, com febre, fadiga geral ou dores musculares, é melhor deixar o treino para outro dia.


Em resumo... Atividade física moderada e bem auxiliada faz bem até para seu resfriado! Não deixe de praticar ou se ainda não se dedica a algum esporte, vale a pena reavaliar as prioridades e tentar sair da zona de conforto. Seu corpo agradece!









26 visualizações

Dr. Luis F. Q. Toledo 
Diretor Técnico Médico 
CRM - SP 43052