QUE DOR NA COXA!

Se você já teve que parar aquele futebol no fim de semana depois de uma dor na coxa, esse texto é para você. As lesões mais comuns nesses casos são as distensões ou estiramentos. Elas podem acontecer na parte anterior ou posterior da coxa.


A face anterior da coxa é formada por quatro músculos: reto femoral, vasto lateral, vasto intermédio e vasto medial, chamados em conjunto de quadríceps.


Os esportes mais comumente envolvidos com essas lesões são os que envolvem contrações rápidas e com força, como atletas de corridas rápidas e o futebol. Outros fatores de risco são: postura e técnica inadequada, lesão anterior tratada inadequadamente, musculatura encurtada, falta de aquecimento.


As lesões serão divididas em graus de gravidade indo de I à III, sendo o grau I uma distensão leve e o III uma lesão completa que até impede a função do membro. Cada uma será avaliada e indicado o melhor tratamento, que na maioria das vezes será repouso, gelo e medicações para dor. Cirurgia raramente é indicada. Passado a fase da dor, as atividades normais podem ser retomadas e o retorno ao esporte está autorizado quando o paciente conseguir retomar a mesma função sem dor e com a mesma força. Isso pode levar de 2 dias a 10 semanas.


O mesmo pensamento deve ser aplicado para lesões na face posterior da coxa. Nesse caso os músculos são: semimembranoso, semitendíneo e o bíceps femoral, formando o grupo dos Isquiotibiais.


Seja qual for a lesão é muito importante respeitar o tempo de recuperação, pois retornar precocemente ao esporte sem a recuperação completa levará a lesões de repetição e formação de cicatrizes que vão diminuir a força muscular e prejudicar seu desempenho.

Tenha paciência e confie no seu médico.


#dornacoxa #futebol #corrida

289 visualizações

Dr. Luis F. Q. Toledo 
Diretor Técnico Médico 
CRM - SP 43052